domingo, 7 de fevereiro de 2010

Sem fronteiras...




Vem, traz  contigo  o teu sorriso ardente,
e, segue os meus passos  sempre em flor,
serei  de todas as aves, a mais contente,
serei  eterna  Primavera, Oh meu amor!

Desprende as amarras, liberta essa barca,
solta as velas de todos os  sonhos ao luar,
rasga as àguas, traz o tesouro, traz a  arca,
da paixão,do desejo, do querer e ofertar!

Mete as mãos no tempo, meu doce  amado,
recolhe a ternura dos abraços  pelas raizes,
dos  beijos, e das caricias sem barreiras...

E,  que o céu pelo  nosso olhar iluminado,
seja estrada, estrelas,  as gargalhadas felizes,
os loucos perdidos sem limites e fronteiras...

Maria Augusta Loureiro
(Margusta)

* Reservados todos os direitos de autor*

Foto da net

10 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Margusta

Lindissimo poema..fêz-me lembrar, Florbela Espanca.
Muito belo...adorei.

Beijinhos
Sonhadora

Maria disse...

É assim o amor total...

Beijo, querida Margusta

heramariana disse...

Iubire, iubire si iar iubire.:)
Foarte frumos, iubirea nu ne va plictisi niciodata!
TE IUBESC PENTRU CE ESTI!

Zé Carlos disse...

Margusta, que poema maravilhoso... só não o é mais lindo do que a autora.

Seu fã, ZC

Graça disse...

Tão bonito, o teu soneto, querida Margusta. Cheio de imperativos que são pedidos... sem limites nem fronteiras.

Um beijo imenso de carinho.

Cata- Vento disse...

Um soneto lindíssimo onde se destaca um sujeito poético que, sequioso pelo seu amor, lhe lança apelos sucessivos.
Bem-hajas, amiga linda.

Mil beijinhos

rosa dourada/ondina azul disse...

Amiga,

Sorrindo,
li o teu poema,
gostei e repeti:)


Beijo,

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Margusta, bela fotografia...belo poema...Espectacular....
Beijos

Mar Arável disse...

Memória bela

dos moliceiros

com palavras rasgadas

mais leves que as águas

Bj

jo ra tone disse...

Lindo poema.
Coincidência
Tb falo numa barca, mas diferente, neste último
Beijinho bom fim de semana