terça-feira, 25 de agosto de 2015

Que o sono nos salve amor...

Que o sono me salve amor,
que o sonho me leve,
a sobrevoar o teu corpo,
infinito nos meus olhos,
cometa da minha pele.

Voas?... Voo!...

Não te abrigues da luz amor,
o sol rasga a manhã,
e por entre o roseiral,
as asas das borboletas,
são beijos em vendaval.

Voo!... Voas?...

Que o sono nos salve amor,
que o sonho nos leve...

©Margusta Loureiro
*reservados todos os direitos de autor de texto e imagem.

6 comentários:

Graça Pires disse...

Obrigada pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Passarei aqui outras vezes.
Beijo.

KING SOLOMON disse...

Lindo texto, linda foto! Como sempre....

Graça Pires disse...

Um monólogo/diálogo a tornar o poema muito expressivo e muito belo.
Um beijo.

Ivo Serenthà disse...

Gracias por venir en travelnews, muy interesantes sus imágenes, mi privado son en flickr (https://www.flickr.com/photos/iserentha/)

Un abrazo

© Piedade Araújo Sol disse...

o poema é um hino à liberdade do amor.
a foto está óptima.
e gostei demais das tuas telas.
parabéns e que nunca te falte esse talento que está e vive em ti.
beijo
:)

C Valente disse...

Saudações amigas com tudo de bom,