domingo, 27 de fevereiro de 2011

Do amor, a serenidade...


Entre o silêncio, e o excesso do veludo purpura,
que me aconchega o peito,
componho melodias,
escrevo afectos e pincelo ternuras...

Maria Augusta Loureiro 
(Margusta)

2 comentários:

Maria disse...

Ou seja, fazes poesia......

Beijo, Margusta.

Justina disse...

Excelente,Margusta!
Transforma as palavras em sentimentos. de uma maneira muito bela!
Isto também é arte!
Jú gonçalves