segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Sensitiva (mente ) ...



Abri uma janela sobre ti .
Paralisei o tempo...
Nas imagens silenciosas,
e distantes, descerrei persianas no sentir.
Em línguas, de luz e sombras,
celebrei o desejo do instante...
Toquei os teus lábios, e invadi a tua boca,
de sal e mar.
Abstractas lembranças,
desenharam-se na intensidade da luz,
e partiram num beijo em viagem...

Agora, quedo-me debruçada na janela.
Retoco um quadro extinto,
que, ainda sonho e  pinto...


Maria Augusta Loureiro
Margusta
 * reservados todos os direitos de autor*

Foto  tirada do Jardim dos Capuchos, vista sobre a C. da Caparica


3 comentários:

C Valente disse...

Saudações amigas

Magia da Inês disse...

Olá, amiga!
Passei para matar a saudade do seu cantinho e da sua poesia.
Boa semana!!!
Beijinhos.
Itabira
Brasil

Filoxera disse...

Se o retocas, o quadro não está extinto...
;-)
Beijinhos.