quinta-feira, 29 de outubro de 2009

SERENIDADES



Silêncios

Encontramos a praia deserta.Com os olhares fugidios,
ensaiamos alguma conversa de mistérios abertos
na seriedade do momento musicado pelas ondas do mar
e pelos gritos das gaivotas tristes, mas brancas.
O silêncio está sempre ocupado,
mesmo quando não há palavras;
portanto, as reticências podem prolongar-se em suspiro longo,
os pontos finais deitar-se ao abandono do ar fresco.
A manhã parece cheia de vazios repletos de sensações
e as palavras vão ganhando agilidade, ritmo, alguma emoção,
enquanto os silêncios de mar, calam brisas ainda húmidas.
As gaivotas alinham-se agora, sentadas na areia molhada,
enquanto batem os corações que as olham, descompassados.
Sentimos o ar tão quente, que queremos ter asas também,
voar contra o vento de penas leves em desalinho.
Enterramos longe as pesadas penas de ontem.
Ainda há pouco o tempo parou em todos os relógios.
E nós deixamos.

Isabel Solano




"SERENIDADES" é o livro resultante do Concurso de Poesia " Ora, Vejamos...2009", no qual participei e obtive uma Menção Honrosa, com o poema " Sem (a)manhã..."  ( O 4º poema mais votado),  e que já publiquei aqui no post do dia  27 de Setembro de 2009  http://momentossentidos3.blogspot.com/2009/09/mencao-honrosa-ora-vejamos-concurso-de.html
 Pessoalmente acho que este livro tem uma da capa muito bonita ( adoro a foto), e o título do livro é  muito adequado e sugestivo para um livro de Poesia.
Quem quiser adiquirir o livro pode fazê-lo aqui
http://www.lulu.com/content/paperback-book/serenidades/7739394

Parabéns ao Henrique Sousa  por estas fantásticas iniciativas , aos  membros do Júri, assim como a todos os participantes, e envolvidos na feitura do livro.

A vencedora do concurso, foi   Isabel Solano com o poema acima,  arrebatou também o 3º prémio e é ainda a  autora da foto da capa do livro. Parabéns Isabel Solano!


3 comentários:

heramariana disse...

Un pipic si o imbratisare, pentru tine!
Nu mai am traducatorul si inteleg foarte putin...

Rui Figueiredo Vieira disse...

Muito bom...Bj

Graça disse...

Querida Margusta,

Gostei do poema da Isabel Solano, e muito do teu. Já uma vez te disse que gosto de poemas onde me revejo... e os teus têm muito do meu sentir. Como a escolha do Abrunhosa, ali em cima. Belíssimo.

E não vou embora sem dizer o quanto as tuas fotos são belas :).

Beijo de carinho e bom fim de semana