sexta-feira, 9 de outubro de 2009

(E) Ternos Laços


Apareces nas minhas pupilas. Emudeço de assombro, e uma lágrima humedece-me a visão ao ver-te assim sepultado em vida.
Pareces carregar o mundo nas costas. No rosto tatuado o desânimo dos vencidos, luz que se perdeu em traços de escuridão. O roupão grosso que vestes, impróprio para a época não te aquece a alma e o coração. Desfaz-te dele! E, deixa que o pijama azul descanse sobre a cama. Veste os teus jeans a camisa e leva um casaco, pode ser o vermelho, fica-te bem. Sai para a rua!
A solidão será mais suportável, mesmo que caminhes sózinho no meio da multidão. Sei da alma que te habita…não fosse ela a outra parte…
Foge da espuma do nada e retorna ao mar da vida, não importa em que ondas ou marés…desde que aparelhes a jangada dos sonhos e te deixes navegar, ainda que sem leme, sem rumo…ainda que naufragues.
Digo-te é urgente que acendas com letras de fogo as páginas da tua existência nas planícies das palavras, onde todas as metáforas se incendeiam pela língua do teu pensamento e desejo.
Digo-te mais ainda, fazes parte dos mistérios do mundo e dos criadores de sonhos no movimento eterno do Universo. Não podes quebrar as asas que te ligam ao infinito!
És a  harmonia na estrutura do Cosmos que te acolheu em Poesia.
Muitas vezes nos questionamos sobre os fortes laços que sentimos, que eram inatingíveis á nossa compreensão, mas ambos sabíamos no fundo que já vinham desde o tempo em que o sol e a lua se debruçaram pela primeira vez sobre a terra, em rituais de luz e sombra.
Dentro da distância, o tempo diz-me que sempre beberemos do mesmo cálice, em vidas que se cruzarão pela eternidade.
E no recolher dos destroços, reúno todas as forças e dou-te a minha mão…Continua a Caminhada!...

Eu venho do fundo do mar, sei ser noite e sei ser dia mesmo no meio do caos,  porque Deus me fez MULHER!!!

Maria Augusta Loureiro ( Margusta)
09/10/2009

* Reservados todos os direitos de autor*

5 comentários:

Maria disse...

Tinha tanto para te dizer e não sou capaz... ou não devo.
Mas sempre te digo que a vida nos reserva as maiores surpresas, às vezes sem darmos por isso...
Até conseguimos ver beleza nos dias mais cinzentos, Margusta. Tenho tanta vontade de te abraçar...

Um beijo grande

Isamar disse...

Um texto lindíssimo, um sumo de emoções fortes, extraído do que sentes, do que sofres, do que sonhas... que revela a tua belíssima qualidade como ser humano.
Olha o azul do mar, o azul do céu, o voo das aves, o sol brilhante e dourado, os campos, as pessoas e verás que há beleza à tua volta, há gente verdadeira, gente amiga, gente bonita que pode fazer-te feliz no sentido mais lato que a palavra possa ter.

Conta com a minha amizade.

Beijinhos mil, amiga linda.

tulipa disse...

HOJE faço uma homenagem à minha sobrinha Tânia do Bookcrossing, falecida em Março passado:

Minha querida, um “grande amigo” recente, também da blogosfera, mas já real, em Abril passado, já depois da tua partida para sempre da minha vida, fez o percurso “Caminhos de Santiago” ( conheceu-te através de mim, do meu sofrimento, da partilha de emoções) e, juntamente com os seus companheiros de caminhada rezaram por ti e fizeram uma oferta pela tua alma, deixando no local um símbolo e umas florzinhas do campo.
LINDO, não é?
Aqui estão duas imagens desse “momento”.
Faço-te homenagem nos meus dois blogues, neste "teu dia".

mariabesuga disse...

Os Sentidos todos nas palavras expressas aqui desenhadas pela Alma.

Um beijo Margusta.

Menina do Rio disse...

Os laços são imprescindíveis; são eles que nos mantém no centro de nós mesmos...

Saudades já de ti, amiga

Beijos