sábado, 29 de janeiro de 2011

Do meu olhar...

Meus olhos,
são fasquias de sonhos,
que o tempo vai devorando,
para  que um dia,   não restem mais ,
asas de pássaros  dentro das emoções.
Lentamente,  deixo que partam,
silenciosos,
carregando promessas nos bicos.

Ilusórios desertos de deslumbramento,
que,  sempre me cegavam,
quando bebia o azul, em voos a pique,
perseguindo  estrelas cadentes...

Maria Augusta Loureiro
(Margusta)
* Reservados todos os direitos de autor 

Fotos do meu álbum AQUI


7 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Margusta

Como sempre um vôo de sensibilidade no teu poema...saído do profundo da alma.

Deixo o meu beijinho
Sonhadora

helia disse...

Um Poema muito bonito! Gostei deste seu cantinhopoético

aflores disse...

Os olhos são aquilo que são. E eu gosto do que vejo(leio).

Tudo de bom

Magia da Inês disse...

Querida amiga!
Versos líricos cheios de encantamento...
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil
♥♥ °º
° ·.

Lilá(s) disse...

Já sabia que eras artista mas cada vez mais me surpreendes! que poesia!
Bjs

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Margusta, belo poema...Espectacular....
Beijos

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Margusta, belo poema...Espectacular....
Beijos