sábado, 9 de maio de 2009

Buscando-me em palavras...


Sabes, vou tentar regressar a mim. São incertos os meus passos, mas vou regressar a mim, procurando-me nas palavras. O caminho tem sido tormentoso na sucessão das noites aos dias, e dos dias ás noites. E dias tem em que eu já nem sei mais se é noite, ou se é dia, obcecada que ando nesta busca.
Diz-me que estrada é esta, em que uma estranha apatia me tolhe as ideias e movimentos e me atira para esta cruel angustia. Mas acredita estou determinada a prosseguir, ainda que lentamente , e por muito que tropece nos espaços em branco de um tempo perdido na memória. Tenho que me libertar desta inércia que chega a sufocar-me. Ar. Preciso respirar. Oxigénio, palavras. Palavras oxigenadas! Sim! Vou mastigar as palavras , vou saboreá-las, deixar que se dissolvam neste quente febril da minha boca, e retirar-lhes o suco. Vou tentar descobrir-me nos seus sabores...mas são tantos e tão diversificados os sabores!... Diz-me, sabes qual é o meu?...
Faltam letreiros, deveriam existir indicações nos sabores a indicar trajectos. Mas apenas existem palavras com letras de diferentes cores. Cores e sabores...O sabor do vermelho será em frente?...O do azul para a direita?...O verde será um desvio?... Fico perdida e confusa nos sabores das cores das palavras!...
Vem dá-me a tua mão... Ajudas-me?... Preciso!... Vou conseguir, tenho de conseguir! Foi demasiada a imobilidade branca a que me entreguei, e agora escrever afigura-se-me quase impossível. É urgente...é urgente que encontre o caminho. Tenho a alma nua de vocabulário. Dizem que os anjos andam nus. Serei eu um anjo?... Diz-me pois eu não sei!.. Não vejo mais os meus contornos. Mas as imagens muitas vezes também enganam, e sabes se for anjo serei de certeza imperfeito. Devo ter perdido as asas ao romper alguma noite negra e interminável, em que tu não estavas ao meu lado. Se me vês e sabes diz-me tu... Diz-me que vês em mim?...
Preciso da tua resposta, preciso que me ajudes....
Quero regressar a mim!... E voltar a viver contigo num lugar de sonho, num lugar doce e tranquilo, que é o inebriante e maravilhoso mundo onde habitam todas as palavras.


Maria Augusta Loureiro
Margusta
In "Divagando"
*Reservados todos os direitos de autor*

08/05/2009

10 comentários:

Menina do Rio disse...

As vezes caminhamos por estradas íngremes e escorregadias, a procura de nós mesmos, uma mão que se estenda, de braços que nos amparem...

Querida, fica o meu beijo pra ti e um feliz domingo!

Isamar disse...

Hás-de encontrar o caminho que te trará a felicidade. Às vezes perdemo-nos de nós mesmos mas quando se tem a força interior que sempre demonstraste ter, reencontra-se a paz, a harmonia, a felicidade.

Desejo-te o dobro do que desejo para mim e família.

És linda, linda, linda...Margusta.

Eu conheci-te na exposição da Costa de Caparica, a primeira de que tive conhecimento. És artista, sensível, doce, maravilhosa...

Mil beijinhos

Bem-hajas!

Sofá Amarelo disse...

Regressar a nós é o princípio de tudo, sem partir de nós não chegamos mesmo a lado nenhum - e tu tens tido a coragem e a persistência de começar e recomeçar sempre que é preciso - a maior sorte do mundo para o III.

Muitos beijinhos, Margusta!!!

Maria disse...

Belíssimo este texto!
Com certeza te encontrarás nas palavras. Dou-te a minha mão...

Beijinhos, doce Margusta

margusta disse...

Menina,
...tens toda a razão!

E és uma querida sempre presente nos meus " momentos".

Um beijo terno para ti!

margusta disse...

Isamar,

Deixas-me assim sem jeito .... dizes tantas coisas bonitas a meu respeito que eu..olha fico sem jeito mesmo!!!
Eu acho que não sou isso tudo querida amiga...
Muito Obrigada!... E eu tb desejo tudo de bommmmm tudoooooo para a tua família, e para ti!

Acho que sei de cor o teu olhar...quase aposto que te reconheci :)

Muitosss beijinhos!

margusta disse...

Alexandre meu amigo, já tinha saudades tuas!

Obrigada pelas palavras Alexandre...faz tempo que acompanhas o meu percurso...E és uma das pessoas que tive o prazer de conhecer pessoalmente aqui na blogspot!

Mil beijinhos para ti também!

margusta disse...

Obrigada Querida Maria,
..és daquelas amigas que não precisas de dar a mão....Porque tens estado sempre de mão dada comigo! Nunca a largas-te!

Mil beijinhos para ti...lá no Bugio :)

A.S. disse...

Querida Margusta,

Há o tempo presente. O tempo das circunstâncias que erguem muros reais e fantasmas de vento!

Há o tempo dos sonhos. E há a coragem para poder vivê-los no fragor de versos disfarçados!

Há o tempo das palavras. Essas palavras, onde regressarás a ti, àquele lugar de sonho que sempre imaginaste doce a tranquilo, onde terás uma mão sempre à tua espera!
Teus passos deixarão de ser incertos! Não precisarás de palavras pintadas para encontrares o teu caminho!


Beijos...

margusta disse...

Querido Al,

..um dia virá, em que as palavras serão palpáveis...e os sonhos terão contornos definidos...
Nesse dia o tempo irá parar , diluir-me-ei numa cor que sei de cor e tudo será infinito!

O meu Beijo!