quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012


Nascem asas no silêncio dos meus olhos.
Voam aves irrequietas presas à luz,
e,
partem no vento do fim da tarde,
para, tingirem de ternura o teu peito...

@Margusta.

5 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Margusta

Lindo como sempre o teu sentir.


Beijinho com carinho
Sonhadora

A.S. disse...

No silêncio dos teus olhos,
as asas se libertam
para os mais audazes voos...


Beijos...
AL

© Piedade Araújo Sol disse...

que bonito!

e as tuas fotos estão muito belas.

beij

Magia da Inês disse...

L
I
N
D
O
!

(⁀‵⁀,)
¸`⋎´
¸.•°`♥
Beijinhos.
Brasil

vieira calado disse...

Gostei do poema e ilustração.

Também pratico o género.

Saudações poéticas!