segunda-feira, 29 de junho de 2009

Poema Vermelho



Viaja-me no sangue
um poema vermelho
Em silêncio,
circulam rubras as palavras
construindo os versos
Deslizam desordenadas,
as rimas ardentes
Pedaços de lava,
incandescentes!

O lume queima as veias
Na carne, quase em chamas,
o desejo arde!
E a boca em fogo,
que a tua me pede,
lasciva se abre...

-Vem amor...é tarde!...

Maria Augusta Loureiro
Margusta
* Reservados todos os direitos de autor

9 comentários:

A.S. disse...

Há um vermelho cintilante
nos meus braços!
Íntimo fragor de vulcão
indomável...
esplendorosa te dás,
radiosa me sorris,
em tua lava me incendeio!...


Doces beijos...
AL

Rui Figueiredo Vieira disse...

Bom, gostaria só de deixar os meus parabéns, é a primeira vez que vejo um blog assim...fantástico! Adorei a imagem e conteudo. Voltarei com toda a certeza. Inspirador...!
Cumprimentos

Pedro Branco disse...

O vermelho sangue é tão quente como a voz de um poeta!

tulipa disse...

OLÁ MARGUSTA

Neste momento gostaria de poder saber se é longo o meu caminho...
LONGO E SAUDÁVEL...
estou muito desanimada, assustada e triste, pois foi-me detectado um "derrame no pulmão"...
coisa séria e muito grave!!!

Amiga recebi um convite teu, mas não tenho tido cabeça para nada.
Há 1 mês atrás estava tão feliz, tinha acabado de chegar de uma semana de férias num cruzeiro...e, agora, só vejo um túnel negro à minha frente, sem esperança.

Não estou aborrecida contigo, apenas não tenho tido disposição para nada, o facto de não ter aceite o teu convite.
Um dia o farei.

Cá estou apenas para te dizer como me sinto, só e abandonada neste mundo, sempre haverá coisas más no meu caminho.
Acredita: ESTOU CANSADA.

Beijos.

Valdemir Reis disse...

Amiga Margusta visitando e compartilhando:
O valor da amizade?
“Quantas vezes são os amigos que nos fazem sorrir quando tínhamos vontade de chorar, mas a sua simples presença traz de volta o sol a brilhar em nossa vida.
Entretanto, não existe só alegria, amor, felicidade nesta relação que como em qualquer outro relacionamento, passa por crises passageiras, por momentos intempestivos, abalos ocasionais.
Podemos comparar esse elo de amizade ao tempo que passa por alterações climáticas constantemente, mas é dessa forma que aprendemos a nos conhecer, compartilhar momentos, que se desenvolve uma amizade.
É na amizade verdadeira que encontramos sinceridade, lealdade, afinidade, cumplicidade, simplicidade, fraternidade.
Amigos são irmãos que a vida nos deu para caminhar conosco ao longo da nossa jornada espiritual, extrapolando os limites do tempo, continuando quando e onde Deus assim o permitir.” Autora; S. Quevedo Nogueira
Permita deixar um recado o nosso Blog www.valdemireis.blogspot.com está participando do “CONCURSO TOP BLOG CATEGORIA VARIEDADES”. Fique a vontade. Honrado e feliz, antecipadamente agradeço por sua visita e voto, meu muito obrigado!!! Desejo uma semana repleta de realizações, muitas bênçãos, paz, saúde e proteção, brilhem sempre! Fique com Deus. Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Sucesso.
Valdemir Reis

mixtu disse...

vermelho de fogo...
desejo
sentires
sentir viva
(a)mar...

poesia

abrazos serranos

O Profeta disse...

Mas os golfinhos continuam felizes
A cavalgar ondas de madrepérola
A Lua sorri tristemente e pensa
Haverá alguém mais perverso do que ela?
Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração

Boa semana


Doce beijo

Lago Mudo disse...

A tua rubra luz aqueceu o meu pulsante cerne. Obrigado.

Secreta disse...

Paixão...fogo ardente.
Beijito.